Tecnologias Assistivas

Tecnologia Assistiva é um termo utilizado para identificar todo o arsenal de recursos e serviços que contribuem para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais de pessoas com deficiência e consequentemente promover maior independência, qualidade de vida e inclusão social, através da ampliação de sua comunicação, mobilidade, controle de seu ambiente, habilidades de seu aprendizado, trabalho e integração com a família, amigos e sociedade.

Na categoria de auxílios de mobilidade estão as cadeiras de rodas. Através da mobilidade o ser humano pode vivenciar experiências através das quais terá aprendizados únicos e enriquecedores e isto pode ser muito prazeroso, pois pode participar de suas atividades da vida diária, atividades de lazer e educação e ampliar seu convívio social, além de ter autonomia durante o dia. Para pessoas com AME, esta mobilidade pode estar limitada e o uso de um recurso assistivo pode ser necessário.

Os recursos assistivos mais utilizados atualmente são os carrinhos posturais e as cadeiras de rodas personalizadas para cada indivíduo. Estes equipamentos favorecem a realização das atividades diárias e o convívio com outras pessoas. Para crianças, possibilitam sua participação nas atividades familiares, escolares e o convívio com outras crianças. Já para os adultos, podem oferecer independência e autonomia nos seus deslocamentos e na realização de atividades do cotidiano.

O equipamento deve ser personalizado, porque cada pessoa tem características diferentes. No momento da escolha do equipamento, é preciso compreender as necessidades que o indivíduo apresenta quando está sentado, mas também levar em consideração a idade, a fase de crescimento, o posicionamento articular, a necessidade do uso de outros recursos assistivos (como os aparelhos de suporte ventilatórios ou de comunicação), as atividades que serão realizadas e os locais onde o equipamento será utilizado.
Um equipamento adquirido sem orientação pode prejudicar a participação da pessoa em suas atividades, favorecer deformidades e prejudicar funções vitais.

O uso das cadeiras de rodas motorizadas tem sido cada vez mais indicado, pois estes equipamentos favorecem maior autonomia sem exigir esforço físico da criança ou do adulto e proporcionam a realização de muitas das suas atividades. Atualmente, existem diversos tipos de botões com mecanismos muito sensíveis, que possibilitam o acionamento com pequena força e amplitude de movimento, viabilizando assim o uso de cadeiras motorizadas para pacientes com a função motora bastante comprometida.

Deve-se lembrar que as crianças que utilizam este recurso precisam de supervisão de um adulto durante o seu uso, pois elas são muito espertas e vão querer aproveitar todas as possibilidades que o equipamento oferece.

Tecnologias-assistivas-para-AME-2

Outro ponto importante é ter em mente que, como são equipamentos muito pesados (geralmente pesam mais de 100 kg), qualquer pequeno obstáculo de acessibilidade pode representar a impossibilidade de usar o equipamento em certos locais. Por isso, em geral, é importante que a pessoa que tem uma cadeira motorizada, tenha também uma cadeira manual, para que não fique sem opção de se locomover nestes casos ou nos casos em que a cadeira motorizada tem algum problema e precisa passar por manutenção.

Merece destaque também as cadeiras ultra leves que, embora não sejam motorizadas, possibilitam que a criança ou adulto consiga movimentá-la, mesmo com pouca força.

Outra categoria de tecnologias assistivas é a de comunicação aumentativa e alternativa, que é destinada a atender pessoas sem fala ou escrita funcional ou em defasagem entre sua necessidade comunicativa e sua habilidade em falar, escrever e/ou compreender. Existem recursos, eletrônicos ou não, que permitem a comunicação expressiva e receptiva das pessoas sem a fala ou com limitações da mesma. São muito utilizadas as pranchas de comunicação com símbolos, além de vocalizadores e softwares dedicados para este fim.

Outros materiais e produtos podem ser usados para fornecer auxílio para a vida diária, em tarefas rotineiras tais como comer, cozinhar, vestir-se, tomar banho e executar necessidades pessoais, manutenção da casa etc. Talheres modificados, suportes para utensílios domésticos, barras de apoio, entre outros, são adaptações simples que podem conferir maior autonomia ou independência ao indivíduo com AME.

Na categoria de auxílios para adequação postural, adaptações para cadeira de rodas ou outro sistema de sentar são usados visando o conforto e distribuição adequada da pressão na superfície da pele (almofadas especiais, assentos e encostos anatômicos), bem como posicionadores e contentores que propiciam maior estabilidade e postura adequada do corpo através do suporte e posicionamento de tronco/cabeça/membros.

Recursos que auxiliam e estabilizam a postura deitada e de pé, tais como as almofadas no leito ou os estabilizadores ortostáticos, também estão incluídos nesta categoria, e quando utilizados precocemente, auxiliam na prevenção de deformidades corporais dos indivíduos com AME.

Doe